quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Pecado, o abuso da liberdade.


O pecado é classificado, segundo sua gravidade, em venial e mortal.
Pecado venial (desculpável, perdoável) ainda deixa existir a força e a ação da caridade, do amor em nossa vida, mas os ofende e fere. Ele enfraquece a graça de Deus em nós, mas não a destrói. Os pecados veniais são faltas leves, perdoadas no Ato de Contrição, rezado durante a Santa Missa, desde que estejamos sinceramente arrependidos. Porém, a confissão regular de nossos pecados veniais nos ajuda a formar a consciência, a lutar contra nossas más tendências, a deixar-nos curar por Cristo, a progredir na vida espiritual. Recebendo mais freqüentemente o perdão dos pecados e o dom da misericórdia do Pai, somos levados a ser misericordiosos como ele (Catecismo 1458). Já o pecado mortal destrói a caridade, destrói o amor no coração do homem por uma infração grave da lei de Deus; desvia o homem de Deus, seu fim último, preferindo um bem inferior, sem valor (Catecismo 1855) O pecado mortal o pecado que faz perder a graça Divina e leva à condenação do ser ; se não for objecto de confissão (admissão da culpa), genuíno arrependimento e penitência (retratação perante Deus). Para os nós Cristãos Católicos, a tríade que define o pecado mortal é:
-Matéria grave - precisada pelos dez mandamentos.
-Pleno conhecimento de estar cometendo pecado
-Plena e deliberada adesão da vontade.
A repetição de pecados gera vícios, que "são hábitos perversos que obscurecem a consciência e inclinam ao mal. Os vícios podem estar ligados aos chamados sete pecados capitais. Os sete pecados capitais são atitudes humanas contrárias às leis divinas. Foram definidos pela Igreja Católica, no final do século VI, durante o papado de Gregório Magno.
São eles:
1. Luxúria: apego e valorização extrema aos prazeres carnais, à sensualidade e sexualidade; desrespeito aos costumes; lascívia.
2. Gula: comer somente por prazer, em quantidade superior àquela necessária para o corpo humano.
3. Avareza: apego ao dinheiro de forma exagerada, desejo de adquirir bens materiais e de acumular riquezas. 4. Ira: raiva contra alguém, vontade de vingança.
5. Soberba: manifestação de orgulho e arrogância.
6. Vaidade: preocupação excessiva com o aspecto físico para conquistar a admiração dos outros.
7. Preguiça: negligência ou falta de vontade para o trabalho ou atividades importantes.
Em função das mudanças ocorridas na sociedade atual, o Vaticano criou, em março de 2008, um conjunto de novos pecados adaptados à era da globalização.
Novos Pecados Capitais
- Experimentos “moralmente dúbios” com células-tronco: a Igreja Católica defende a idéia de que a vida se forma no momento da formação do embrião. Portanto, condena qualquer tipo de pesquisa científica com embriões humanos e células-tronco embrionárias.
- Uso de drogas: as drogas causam dependência física e psicológica nos usuários e prejudicam o funcionamento harmonioso da família. É uma atitude contra a vida humana.
- Poluição do meio ambiente: a poluição do ar, água e solo trazem prejuízos sérios ao meio ambiente e a saúde das pessoas.
- Agravamento da injustiça social: o capitalismo criou, em muitos países, uma má distribuição de renda, deixando à margem da sociedade grande parcela da população (os excluídos sociais).
- Riqueza excessiva: o capitalismo favoreceu a concentração de renda, muitas vezes, de forma excessiva. Algumas pessoas concentram bilhões de dólares, enquanto outros, não têm se quer o que comer.
- Geração de pobreza: a pobreza e a miséria estão espalhadas pelo mundo. Cometem este pecado àqueles que contribuem para a geração destas condições sociais.
- Violações bioéticas como, por exemplo, controle de natalidade: é considerada violação bioética toda atitude que pretende evitar a geração de vida de forma natural (uso de contraceptivos, cirurgias, aborto, inseminação artificial).
A Igreja nos ensina também que temos responsabilidade nos pecados cometidos por outros, quando culpavelmente neles cooperamos. Jesus ensina , que as pequenas atitudes, que na maioria das vezes desprezamos (atitudes consideradas pequenas), são as que revelam verdadeiramente as disposições do coração.
Vejamos:
-Chegar atrasado ao trabalho e sair cedo, não é roubar o patrão? =Desonestidade
- Hesitação em responder ao amor de Deus, frouxidão, fraqueza, indolência, falta de ardor, ser morno…=Tibieza.
- Fingir ser algo que não é, alguém critica uma atitude de alguém, quando ela faz exatamente a mesma coisa, ou até pior. = Hipocrisia.
Santa Terezinha nos ensina que para chegar ao Céu não é necessário realizarmos obras maravilhosas, comecemos nas pequenas coisas do nosso dia a dia. deixemos nossos pecados de estimação
 Reconhecer-se pecador é a maior virtude” (Lc 18, 9-18).

Fonte: Catecismo da Igreja Católica
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Que tal deixar um comentário?

Ultimas Notícias
Loading...
Enviar Mensagem
Aperte Esc para Fechar
Copyright © 2010 - 2017 Comunidade Católica Filhos de Sião Todos os Direitos Reservados