terça-feira, 28 de junho de 2011
São João à moda cristã

São João à moda cristã


A comunidade católica Filhos de Sião realizou Domingo (26/06) o “Arraiá Filhos de Sião ”, um São João a moda  cristã com comidas típicas, quadrilha improvisada e  forró pé de serra. O evento que já se tornou tradicional no calendário festivo na cidade de Marco-CE, teve em seu ápice a apresentação do Arraiá Pequeno Gigante que é formado por crianças do Projeto  Criança Pequeno Gigante da Comunidade Católica Filhos de Sião.Veja mais Fotos

Centenas de Pessoas participaram desta noite muito especial  e muito saborosa, pois as comidas típicas  tavam de dar água na boca, mas também não esquecendo nossa origem Cristã tivemos momento de Oração e fizemos uma prece especial pelo nosso pároco Manoel romulo que não pôde participar devido a uma enfermidade.
 O “Arraiá Filhos de Sião é um momento especial para demonstrar confraternidade entre os irmãos da comunidade, da obra e com todos aqueles que querem ter um são João diferente”, se você não participou neste ano, fica aqui o convite para que participe nos próximos anos
O evento já vem sendo realizado há vários anos  e cada vez mais atrai as pessoas a vivenciarem o verdadeiro sentido das festas juninas. Neste ano podemos notar nos olhares e pela quantidade do público que cada vez mais o clima familiar do "São João Cristão" toma proporções maiores no gosto da população de Marco e localidades vizinhas.

segunda-feira, 27 de junho de 2011
Origem do nome "Sião"

Origem do nome "Sião"


 
"Sião", é usado geralmente como um sinônimo de "Jerusalém" e da Terra de Israel.

Sião ou Tzion, em hebraico, significa local ensolarado, ou exposto ao sol; monte ensolarado. O Monte Sião é uma elevação em Jerusalém com 765 metros acima do nível do mar. Fica na parte sudoeste da Cidade antiga. Ao leste está o vale central e, ao sul, o vale de Hinon. Foi no Monte Sião, onde se situa o Cenáculo, que Jesus celebrou a última Páscoa e instituiu a Ceia do Senhor. 

  A palavra Sião é usada na Bíblia com quatro significados.
1) - Sião, com referência a um monte (Sl 78:68).
2) - Sião, representando a cidade de Jerusalém (II Sm 5:7; Sl 48:1,2; 60:14).
3) - Sião, referindo-se ao povo judeu, seus anseios e aspirações quando no exílio, pela libertação nacional e soberania (Sl 137:1-6; Jr 30:17; 50:4-5).
4) - Sião, como expressão daquela realidade espiritual eterna que Deus tem buscado desde o princípio. Este é o significado mais importante (Sl 50:1,2; Is 35:10; Hb 12:22; 13:14). 


Entre os cristãos, desde longa data, as palavras Sião e Jerusalém são lembradas, cantadas, exaltadas, em hinos de louvor e adoração a Deus, por diferentes denominações. Como cidade eterna, lar dos salvos, prometida por Deus e a seus fiéis seguidores, ela é ansiada e desejada como o alvo a ser alcançado, a Nova Jerusalém".   
Para nós da Comunidade, Sião é designado como o povo eleito ou a Jerusalém celeste
Experiência com a pessoa de Jesus Cristo

Experiência com a pessoa de Jesus Cristo


O evangelho de são João oferece verdadeiramente a expressão do amor de Deus revelado na pessoa de Jesus Cristo por nós. A partir de são João passamos a nos referir aos capítulos, temas e personagens. Falando sempre do cego de nascença (JO 9), do Bom Pastor (JO 10), de Nicodemos (JO 3), da oração de Jesus por nós (JO 17), da pecadora pública pega em adultério(JO 8), da samaritana(JO4)... E assim sucessivamente personagens e relatos que revelam Jesus Cristo nosso Deus e Senhor, aquele que morreu e ressuscitou.

O discípulo amado revela como ninguém, o amor de Jesus, o amor do Pai, as entranhas do coração de Deus.

Iremos falar de dois encontros mais belo do quarto evangelho: o de Jesus com a mulher adultera e de Jesus com a samaritana. Muito conhecido e muito explorado o dialogo travado entre Jesus e essas mulheres.

A samaritana, mulher pagã, não judia, com Jesus. Ela que se torna grande corajosa evangelizadora, após ter ela mesma bebido da água viva oferecida por Jesus, e não somente da água do poço de Jacó.

A mulher adultera, prostituta, pega em adultério, já não tinha mais dignidade. O que aconteceu no encontro de Jesus com essa mulher, que fez com que ela permanecesse até o fim diante da cruz de Jesus? (JO 19)

O que de fato levou essas mulheres a serem seguidoras de Jesus evangelizadoras e adoradoras, foi a experiência pessoal com a pessoa de Jesus Cristo.

O estar na presença de Jesus, ouvir a sua voz, sentir o seu perdão e perceber o que essas mulheres perceberam, que o único desejo de Jesus era de amar e curar todas as feridas do seu coração.

E isso nos faz dar inteiramente as nossas vidas sem reservas a ele. Faz-nos perceber a necessidade de nossa alma de amá-lo.

Se hoje não somos capazes de evangelizar como fez a samaritana, de amar Jesus até a cruz como fez Madalena é por que ainda não tivemos uma experiência de amor e de reencontro com a pessoa de Jesus.

É importante questionar:

· O que tem me atraído a estar aqui toda semana?

· Qual o objetivo da minha oração aqui no grupo e na minha oração pessoal?

Quando essa mulheres se encontraram com Jesus não foram mais as mesmas pessoas. Supliquemos como a samaritana que pediu a Jesus: “Senhor daí-me dessa água para eu já não ter mais sede”(JO 4).

Jesus espera aqueles que são seus e lhes foram dados pelo Pai e com elas trava um dialogo de verdade e na verdade, começando um relacionamento pessoal que vai ao encontro de tudo que a pessoa precisa para se tornar adoradora e livre em “espírito e em verdade”.

É esse Jesus de amor, de recomeço que está sempre a beira do poço a nos esperar.

“Quem ama corresponde as exigências do Amado, Jesus Cristo”(EFS cap1 , pág. 11)

Ministério de Formação Filhos de Sião
A vontade de Deus para os esposos

A vontade de Deus para os esposos


O Senhor nunca nos pede algo que não podemos realizar com Sua graça
A família começa no matrimônio; por isso a Igreja exige do casal de noivos – no altar – um juramento de fidelidade até a morte, sem a qual a família não tem sustentação. A infidelidade conjugal é a grande praga de nossos dias que vai corroendo os lares.
Para fazer a vontade de Deus, a esposa deve ser fiel em tudo a seu esposo; viver para ele e para seus filhos; nunca desejar outro homem e jamais ter intimidades com outro.
Hoje vemos alguns casamentos chegarem ao fim por causa de mulheres que conhecem outros homens pela internet e acabam se apaixonando por eles. Para a mulher casada só deve existir um homem a quem possa desejar: o seu esposo. Qualquer sentimento e desejo por outro é traição e infidelidade conjugal.
Da mesma forma para o marido; não pode existir outra mulher em seus desejos a não ser a sua esposa. São Paulo já falava claro sobre isso para ambos há dois mil anos.
"Considerando o perigo da incontinência, cada um tenha sua mulher, e cada mulher tenha seu marido. O marido cumpra o seu dever para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra para com o marido. A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa. Não vos recuseis um ao outro, a não ser de comum acordo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e depois retornai novamente um para o outro, para que não vos tente Satanás por vossa incontinência" (I Cor 7,2-5).
Para fazer a vontade de Deus, marido e mulher devem buscar a cada dia chegar aonde Ele quer que todo casal chegue: "Sereis uma só carne" (cf. Gn 2, 24); isto é, serem unidos. Que nada os separe, que nada seja motivo de brigas: nem a moda, nem o dinheiro, nem os bens, nem os parentes, nem a religião, nem os programas e passeios. Nada! Que tudo seja combinado sem brigas e sem egoísmos, pois um casal egoísta é como duas bolas de bilhar: só se encontram para se chocarem e se separarem.
Como diz a música do padre Zezinho:
"Que nenhuma família comece em qualquer de repente
Que nenhuma família termine por falta de amor
Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente
Que a família comece e termine sabendo aonde vai
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor
E que os filhos conheçam a força que brota do amor.
Que marido e mulher tenham força de amar sem medida
Que ninguém vá dormir sem pedir e sem dar seu perdão
Que as crianças aprendam no colo o sentido da vida
Que a família celebre a partilha do abraço e do pão.
Que marido e mulher não se traiam nem traiam os seus filhos".
Se o casal não for unido, se não viver o amor de Deus, como Jesus ensinou e como São Paulo também ensina na Carta aos Coríntios (cf. I Cor 13), o lar não será feliz, não haverá paz para os filhos, e o desenvolvimento destes não será harmonioso. Muitos filhos não gostam do próprio lar porque nele não há paz e amor. Como um jovem desse pode ser feliz?
O casal só viverá bem se cada um tiver Deus no coração; pois é a Sua graça que mata em nós "a erva daninha" do egoísmo, do orgulho, da vaidade, da arrogância, da prepotência, da autossuficiência, do amor-próprio, da ganância, da ira, da inveja, preguiça, maledicência, infidelidade, etc., e tudo o mais que destrói os casamentos.
É o amor de Deus e a Sua graça que darão ao casal a força da fé e da esperança nas horas difíceis, a coragem nos grandes desafios da caminhada conjugal. Sem Deus Pai o casal não terá bom diálogo, paciência, tolerância com os erros do outro, carinho a ser dado e resistência contra os embates da vida.
I Pe 1, 1-7 exorta os esposos.
No casamento, o casal deve realizar a vontade do Altíssimo vivendo o mandamento:
"Deus os abençoou: 'Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a" (Gn 1, 28).
É vontade de Deus que o casal cresça na convivência mútua; e o fermento desse crescimento é o amor, a renúncia, a abnegação, sabendo cada um dizer "não" a si mesmo para dizer "sim" ao outro. Por outro lado, a missão do casamento é gerar os filhos de Deus; os futuros cidadãos do céu; por isso, um controle de natalidade baseado no egoísmo, no comodismo ou no medo deve ser evitado.
A Igreja ensina aos casais que os filhos são uma bênção de Deus; o Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz que: "A fecundidade é um dom, um fim do matrimônio, porque o amor conjugal tende a ser fecundo. O filho não vem de fora acrescentar-se ao amor mútuo dos esposos; surge no próprio âmago dessa doação mútua, da qual é fruto e realização. A Igreja 'está ao lado da vida', e ensina que qualquer ato matrimonial deve estar aberto à transmissão da vida" (CIC § 2366 ).

O Batismo que transforma

O Batismo que transforma


“Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. (I Cor 2, 9)
Ninguém que tenha tido uma experiência com Jesus Cristo permanece a mesma pessoa. E ninguém que tenha sido batizado pelo Espírito Santo pode permanecer inerte, frio, apático e sem vida. Quando falo em Batismo no Espírito, estou me referindo a uma experiência mística com a terceira pessoa da Santíssima Trindade, fruto do Amor do Pai e do Filho por toda a humanidade.
Ouvimos muito dizer no nosso Seminário de Vida, que o Espírito Santo é o grande presente de Deus à humanidade. Mas se é um presente, por que nós o rejeitamos? Por que diminuímos sua importância? Se Ele é o grande e real consolador das almas, por que nós o reduzimos a alguns momentos de pura emoção ou as ocasiões de grande necessidade da nossa vida?
Vamos lembrar o nosso batismo no Espírito Santo. O que sentimos naquela ocasião, o que aconteceu naquele dia, o que Deus falou e o que Ele transformou, libertou e curou na minha vida...?
Daí, veremos o quanto esquecemos com facilidade as coisas que Deus realiza em nós. Hoje tudo mudou, ou melhor, quase nada mudou em nossas vidas depois do nosso Pentecostes! Nada mudou... Somos as mesmas pessoas, fazemos as mesmas coisas, vivemos do mesmo jeito, com os mesmos vícios e pecados. O Espírito parece que não transformou nada!
O mundo nos desfigura, nos descaracteriza, nos desnuda, nos torna feios e sem vida! Só o Espírito Santo é capaz de revelar quem realmente somos, a nossa essência em Deus. Só seremos transformados naquilo que realmente somos, pelo Espírito Santo. Só Ele é capaz de nos transformar, transfigurar, e refazer nossa dignidade de Filhos de Deus.
Mas para isso precisamos querer, pedir, procurar, bater (Luc 11, 9-13)... É preciso querer, e ter consciência de que precisamos nos deixar moldar constantemente; precisamos pedir o Espírito quando não conseguirmos caminhar com nossas próprias forças, ou quando o peso faz nossa alma também pesar; precisamos procurar o auxilio do alto, para decidir e escolher aquilo que é melhor, que é reto e bom; e por ultimo, precisamos bater, e insistir e não desistir, porque é vitorioso aquele que tem como companheiro de viagem o consolador e advogado de nossas vidas. Mas eu repito, é preciso querer e buscar.
Precisamos ser inteligentes ao ponto de compreendermos que se deixar guiar pelo Espírito é algo urgente e essencial. Que sozinhos somos incapazes que resistir às ciladas do inimigo, que somos fracos e limitados e precisamos de algo maior, grande e forte para combater por nós. Somente quem se deixa guiar pelo Espírito de Deus, consegue vencer a si mesmo e comandar suas paixões desordenadas.
Viver vida espiritual, eis o nosso grande desafio! E se for preciso nascer de novo, nasçamos de novo. Porque todo esforço para se alcançar a santidade será sempre pouco. Ou nos transformamos naquilo que Deus quer, e assim seremos felizes e cumpriremos nossa jornada aqui, alcançando o céu como recompensa ou nos transformamos naquilo que o mundo deseja e seremos sempre insatisfeitos e acima de tudo infelizes e vazios de sentido e ainda correremos o risco de perder a vida eterna.
“Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas...até os confins do mundo.”(Atos 1, 8) “Porque o nosso serviço realiza-se conforme a renovação do Espírito”... (Rom. 7, b6) E se somos Filhos de Deus somos conduzidos pelo seu Espírito. (Rom 8, 14) E não tenhamos medo, “pois Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de sabedoria”. (Tim. 1, 7) “Coragem! Eu venci o mundo.” (Jo 16, b33)
Se permita ser transformado pelo Espírito Santo! É uma decisão diária e pessoal, que transforma e gera vida! E só cabe a você essa escolha! Comece agora a pedir o Espírito Santo!
Depois não diga que não avisei!




por Julineide Mendes formadora e consagrada na Com. De Aliança Filhos de Sião
domingo, 26 de junho de 2011
Eu te amo cara.

Eu te amo cara.



Você é show de bola, Você é o maior internauta do mundo,
sabe fazer tudo e tudo que faz se garante, aconselha como ninguém, até o Papa
te admira, porque Você é demais oh! Até quando a gente vacila Você
faz de tudo. As vezes pega no pé, mas só para o bem.
É mega atencioso e está sempre
no ponto quando precisamos. Conhece todo mundo e ama todo mundo.
sempre ama! Você é incomparável! É Grande! Sem noção ...
Deus, você é o cara nos perfeitos detalhes!
Grupos de Oração

Grupos de Oração




A obra de Deus resplandece sobre os diversos grupos (Magnificat, Aliança com Cristo, Face de Cristo, Bodas de Caná, Vida Nova em Cristo,Nova Aliança e Porta Fídei), fazendo com que a presença de Cristo se faça e realize sempre uma nova experiência e rejubilemos no Senhor, transbordando assim o louvor e a adoração como rede de anuncio via graça.
Projeto Juventude Santa

Projeto Juventude Santa


Projeto Juventude Santa
Com a missão de tornar o amor amado, o Projeto Juventude Santa vem a tona para cumprir esta etapa, tentando alcançar os corações "teens" e imergir-los para adentrar as portas trancadas e fazer com que a cura através do amor aconteça, fazendo assim com que experimentem a verdadeira felicidade.
Através de cinema, divulgações de eventos da comunidade, movimentações em áreas públicas e muito mais, o Projeto efetiva assim o trabalho da missão, na construção do reino.


sábado, 25 de junho de 2011
Ministério de dança

Ministério de dança




Dançar: É realizar, por meio de movimentos suscitados pelo Espírito, no “ritmo das batidas do coração de Deus”, a manifestação do céu aqui na Terra, fazendo com que “flechas do amor” sejam lançadas em direção aos corações dos Filhos de Deus trazendo-os de volta aos braços do Pai.


Por: Breno Aguiar (ministeriado em dança)
quinta-feira, 23 de junho de 2011
Em júbilo juntamente com a Igreja.

Em júbilo juntamente com a Igreja.


A Comunidade se reuni juntamente com a igreja para a festa do Santíssimo Sacramento.
Uniformizados com a vocação a qual Deus nos chamou celebramos a Festa de Corpus Christi.veja o album de fotos.
A igreja esteve em festa durante 10 dias, os quais tivemos a participação de outros sacerdotes e o Bispo da diocese de Sobral Dom Odeli José Magri. E em família nos manifestamos em clima de louvor e adoração.
Solenidade de Corpus Christi

Solenidade de Corpus Christi


Missa de Encerramento da Festa de Corpus Christi da Paróquia de São Manuel do Marco-CE.
Tema: Eucaristia mistério da nossa fé!
Celebrante: Frei Nazário


Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos  14, 12-16

No primeiro dia dos Ázimos, quando se imolava o cordeiro pascal, os discípulos foram ter com Jesus e perguntaram-lhe: Onde queres que vamos preparar a ceia pascal?
 Enviou dois de seus discípulos, instruindo-lhes: Ide a cidade e encontrareis um homem, levando uma bilha de água; ide atrás dele;

 Aonde ele entrar, dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar, onde está a sala em que eu possa comer a páscoa com os meus discípulos?

 Ele vos mostrará, no andar superior, um quarto mobiliado e posto em ordem. Preparai-nos lá, o que for necessário.

Partiram os discípulos e chegaram à cidade; encontraram tudo como dissera e prepararam a Páscoa.




Baixe aqui a Homilia
quarta-feira, 22 de junho de 2011
Festa de Corpus Christi 9°dia

Festa de Corpus Christi 9°dia


Acompanhe a Homilia de nosso Bispo Dom Odeli José, no nono dia da Festa de Corpus Christi da Paróquia de São Manuel do Marco-CE.
Tema: Guardar o dia do Senhor

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6,51-58
 Eu sou o pão vivo, o que desceu do Céu: se alguém comer deste pão, viverá eternamente; e o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, pela vida do mundo.Então, os judeus, exaltados, puseram-se a discutir entre si, dizendo:  Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?! Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes mesmo a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós.Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e Eu hei-de ressuscitá-lo no último dia,
porque a minha carne é uma verdadeira comida e o meu sangue, uma verdadeira bebida.
Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue fica a morar em mim e Eu nele.
Assim como o Pai que me enviou vive e Eu vivo pelo Pai, também quem de verdade me come viverá por mim.
Este é o pão que desceu do Céu; não é como aquele que os antepassados comeram, pois eles morreram; quem come mesmo deste pão viverá eternamente.

Baixe aqui a Homilia



terça-feira, 21 de junho de 2011
Festa de Corpus Christi 8°dia

Festa de Corpus Christi 8°dia


Homilia do oitavo dia da Festa de Corpus Christi.
Tema: A Santa Missa é uma festa?
Celebrante: Pe Emanuel  pároco da paróquia de N. Sra da  Conceição de Meruoca _ Ce
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 19, 31-37

Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz.Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.
Aquele que viu, dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: “Não quebrarão nenhum de seus ossos”. E outra Escritura ainda diz: Olharão para aquele que transpassaram”.

Baixe aqui a homilia 

segunda-feira, 20 de junho de 2011
Festa de Corpus Christi 6° Dia

Festa de Corpus Christi 6° Dia


Homilia do Sexto dia da Festa de Corpus Christi
Tema:Santíssima Trindade E Eucaristia
Celebrante: Pe Manuel Romulo
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 16,12-15


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12"Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará. 14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu".

Baixe aqui a  Homilia


Festa de Corpus Christi 5° Dia

Festa de Corpus Christi 5° Dia



Homilia do quinto dia da Festa de Corpus Christi
Tema: Adorar Jesus Eucarístico
Celebrante: Pe Renato - vigário paroquial  de Santana do Acaraú - Ce
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 3,16-18

Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.Quem nele crê, não é condenado, mas quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.


Baixe aqui a Homilia


sábado, 18 de junho de 2011
Vem aí Arraiá Pequeno Gigante

Vem aí Arraiá Pequeno Gigante




Você e toda sua família estão convidados a participar do tradicional ARRAIÁ FILHOS DE SIÃO. Que acontecerá neste dia 26/06/11 na Quadra do Colégio Cenecista São Manuel, a partir das 19:00hs.
Vai ter muita animação, forró pé de serra, além do Tradicional ARRAIÁ PEQUENO GIGANTE.
Você ainda pode degustar da mais variada cozinha nordestina, visitando nossas barracas e apreciando nossa especiarias: bolo de milho, batata, macaxeira, paçoca, pipoca, doces e muito mais!!!!!
Venha e traga o seu par, para juntos dançarmos na quadrilha improvisada até o sol raiar!!!







Festa de Corpus Christi 4° Dia

Festa de Corpus Christi 4° Dia

Homilia do quarto dia da Festa de Corpus Christi da Paróquia de São Manoel do Marco

Tema: É Deus!

Celebrante: Pe Lindomar, paróquia de Santa Luzia - Jijoca - Ce

Evangelho de Jesus Cristo segundo São lucas 22,14-20

A seguir, Jesus tomou um pão, agradeceu a Deus, o partiu e distribuiu a eles, dizendo: "Isto é o meu corpo, que é dado por vocês. Façam isto em memória de mim."
Depois da ceia, Jesus fez o mesmo com o cálice, dizendo: "Este cálice é a nova aliança

do meu sangue, que é derramado por vocês”.

Baixe aqui a Homilia


quinta-feira, 16 de junho de 2011
Festa de Corpus Christi 3° Dia

Festa de Corpus Christi 3° Dia


Acompanhe a Homilia do terceiro dia da Festa de Corpus Christi.
Tema: As presenças de Cristo
Celebrante: Pe Manuel Romulo
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 6,44-51

Disse Jesus à multidão :Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o atrai. E eu o ressuscitarei no último dia.
Está escrito nos Profetas: `Todos serão discípulos de Deus.’ Ora, todo aquele que escutou o Pai e por ele foi instruído, vem a mim.
Não que alguém já tenha visto o Pai. Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai.
Em verdade, em verdade vos digo, quem crê, possui a vida eterna.
Eu sou o pão da vida.
Os vossos pais comeram o maná no deserto e, no entanto, morreram.
Eis aqui o pão que desce do céu: quem dele comer, nunca morrerá.
Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo’.




 Baixe aqui  a Homilia



A Comunidade Sou Eu

A Comunidade Sou Eu



É preciso estar consciente de que a comunidade sou eu. O dialogo é importante, eu não posso ser pedra de tropeço dentro da comunidade. Perdoar é dar tudo. E isso só se faz quando se ama.
"Amar a Deus profundamente é amá-lo mais que a mim mesmo."
"Quem encontrou Deus não perdi tempo com coisinhas."
"O novo nome da caridade é dialogo." Paulo VI
A comunidade precisa estar unida e protegida pelas autoridades. Eu aceitei estar na comunidade! o postulantado é o período que eu tenho para me perguntar se é isso que eu quero para minha vida. "Amor não é só sentimento e prazer, amor é decisão. Muitas vezes amor é sacrifício". Deus me ama a ponto de confiar a sua obra. Cada um terá a sua vida. como é que eu estou acolhendo as coisas que Deus me dá?
A autoridade na comunidade é servo dos servos. É necessário levar a sério as coisas da comunidade.
obs: leia Tito 3,1-7.
(EFS- p. 94)
Fonte : Estudo Bíblico - Seduziste-me Senhor (Maria Das Graças)
quarta-feira, 15 de junho de 2011
O Perfeito Louvor

O Perfeito Louvor


 O sofrimento é um mistério na vida humana do qual pouco ou nada entendemos. Não sabemos porque sofremos, mas podemos saber para quê sofremos.Sofremos para nos assemelharmos a Jesus em sua Cruz; Sofremos para completarmos em nossa carne o que falta a paixão de Cristo.
Sofrer na alegria significa manter o coração em paz, na fé, quando a tempestade está caindo sobre o barco da nossa vida; é olhar para o Céu e acreditar que o domingo da ressurreição não tardará.   Alguém dizia: “Tudo o que não é eterno é suportável”.
   Diz Santa Tereza: “Ponde os olhos no crucificado e tudo vos parecerá pouco”.
   O silêncio guarda só para Deus o perfume do sacrifício. Isso impede que o sofrimento não se perca, procurando e achando aqui na terra sua recompensa.
   Nossos lábios, nossa boca devem ser adestrados para o louvor. O louvor ecoa da boca dos pequeninos.
   O verdadeiro Filho de Sião não murmura diante da dor, mas sabe que nesta hora o Pai espera de cada um o perfeito louvor.




Fonte: Estudo Bíblico - Seduziste-me Senhor (Maria das Graças) Título : O Louvor do Filho De Sião
terça-feira, 14 de junho de 2011
O Sinal Sião

O Sinal Sião


Na cruz é pirografado o nome Siyyõn (Hebraico transliterado para o Latim ) e uma língua de fogo.
O Latim para lembrarmos que somos Igreja e que devemos amá-la.
O Hebraico porque a nossa história tem sua origem no antigo povo de Israel.
A língua de fogo representa a presença de Deus no nosso meio e seu amor de proteção para com todos os filhos de Siyyõn. “Eu estou contigo”(Ex. 3,12). Fixa também a idéia de povo nascido sobre a graça de pentecoste e a nossa pertença a Renovação Carismática Católica. (At. 2,1-13)  ( Escritos de nossa fundadora, Vander-Lucia. Sobre o sinal da vocação).  Lembra da Sarça ardente que a gente viu lá na segunda semana? Vamos voltar lá?
 “ Moisés era pastor das ovelhas de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Certo dia levou as ovelhas deserto adentro e chegou ao monte de Deus ,o Horeb. Apareceu-lhe o anjo do Senhor numa chama de fogo, do meio de uma sarça. Moisés notou que a sarça estava em chamas, mas não se consumia.”  Ex 3,1-2.
 Agora vejamos outra passagem:
de dia, numa coluna de nuvem, para lhes mostrar o caminho;  de noite, numa coluna de fogo  “Partiram de Sucot e acamparam em Etam, na periferia do deserto. O Senhor os protegia, fogo para iluminar, a fim de que pudessem andar de dia e de noite. De dia não se afastava do povo a coluna de nuvem, nem de noite a coluna de fogo”. Ex 13,20-22
Para concluir iremos ler mais uma passagem:
 “Quando chegou o dia de pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do Céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles”. Atos 2,1-3
Isaías 31,9 oráculo do Senhor cujo fogo está em Sião.


 Fonte: Estudo Bíblico _ Seduziste-me Senhor ( Maria das Graças)

segunda-feira, 13 de junho de 2011
Aniversário da Laisane!!

Aniversário da Laisane!!




A Comunidade Filhos de Sião, hoje homenageia Laisane (postulante da com. de aliança), parabenizando por sua decisão de TORNAR O AMOR AMADO e de abraçar a construção do Reino de Deus aqui na Terra, que você possa sempre mostrar que os braços de amor do Pai são suficientes e que não é necessário estar no mundo pois o Pai completa e completa com todo amor e felicidade verdadeira, que você continue sempre nadando contra esta correnteza do mundo e imprimindo o evangelho em cada criatura do Pai, através de todos os dons carismáticos que o espírito lhe presenteou. Com todo amor Projeto Juventude.
O Que é Comunidade?

O Que é Comunidade?


  A comunidade existe porque é uma necessidade. Mas eu posso ou não fazer parte dessa comunidade. É importante que nós tenhamos dentro de nós a riqueza e a importância dessa comunidade. Eu preciso aceitar e encarar que a comunidade é importante e que eu preciso dela.
A comunidade sou eu, o outro e não a estrutura.
A estrutura é conseqüência. O verdadeiro sacrifício é sair da teoria do que eu sei sobre comunidade e trabalhar a minha lentidão para que a comunidade aconteça. Preciso colocar no meu coração que a comunidade é um tesouro, um bem precioso. Se eu entrei na comunidade eu acredito nela. A comunidade é cada um de nós e nós somos únicos. Tenho muito a dar a Deus na comunidade. È necessário nos sentirmos comunidade.   O postulante e o noviço é um experiente no carisma, ele recebe para depois dar.
   Na comunidade é um eterno doar-se. Deus nos acompanha. Ninguém vai fazer você sentir-se comunidade é uma decisão do nosso coração. Deus é o sentido de tudo e é Deus quem nos atrai a comunidade. O principal para qualquer problema é o amor. A comunidade vai exigir muito de nós, mas isso é bom. Viver em comunidade significa eu pensar no outro.                                      
                                                                                                          Vander-Lúcia (Fundadora)
sábado, 11 de junho de 2011
Tríduo Pentecostal (2° parte)

Tríduo Pentecostal (2° parte)


O Espírito Santo não é algo que vem de fora é algo que vem de dentro.
Os apóstolos sem a presença do Espírito Santo viviam no medo. Por isso Jesus mandou seu Espírito Santo para que eles tivessem a força, a vida, a vitalidade, a ousadia para evangelizar. É necessário o Espírito Santo para terem intimidade com o Espírito Santo, para visualizar, para proclamar, para manifestar a presença de Cristo. O pentecostes é justamente essa graça.
O homem tem medo é de se sentir só, todo e qualquer medo da humanidade é a solidão. Como importante é o apoio.(papa João Paulo II).
“Enviarei o Espírito Santo o paráclito, não vos deixarei órfãos.”
Paráclito: protetor, aquele que protege.
Movido pela graça de pentecostes, os apóstolos saíram do acovardamento.
O pentecoste, segundo os Judeus, eram a festa da colheita.

Por: Paulo Filho - Ministério de Formação

Baixe a Pregação



Tríduo Pentecostal (1° parte)

Tríduo Pentecostal (1° parte)



O Pentecostes é a promessa de Deus Pai, é Deus que quis somente por causa de seu amor, mandar para nós o Seu Espírito Santo. Pentecostes é o quinquagésimo dia após a Páscoa (festa). E a igreja festeja todos os anos a promessa do Pai (pentecostes). A Trindade é Deus Pai, que com tanto amor dado ao Filho, surge o Espírito Santo (o amor do Pai em transfusão para o amor do Filho). O Pentecostes é uma graça constituída do grande mistério pascal, segundo Santo Irineu...
Por: Adriano Silva- Co-fundador.
Baixe aqui a Pregação





sexta-feira, 10 de junho de 2011
Testemunhos do Terço da Misericórdia

Testemunhos do Terço da Misericórdia

Acompanhe alguns testemunhos de pessoas que confiaram na misericórdia de Deus e alcaçaram milagres através do terço da misericórdia na casa da paz .Conversão, curas, reencontro com Deus.


Testemunho I - Conversão
          Morei junto com uma pessoa seis anos com a qual tive um filho, que hoje tem três anos, João Pedro. Hoje sou separada, há sete meses. Nesses seis anos aconteceram coisas que antes disso não imaginei jamais que passaria. Sofri e errei bastante.
          Em nenhum momento, embora antes tenha sentido muita raiva, rancor, vingança ou até mesmo ódio, percebo que não apenas meu ex-marido me decepcionou, como eu também o desapontei, percebo que na época ele era muito jovem como ainda é, não estava preparado para um relacionamento tão sério, e embora ele não fosse tão dedicado e atencioso como eu esperava, vejo que poderia ter colaborado, hoje percebo que eu estava tão vazia e triste querendo que ele me fizesse feliz e que não me preocupava em fazê-lo. Nós não rezávamos juntos, eu não tinha como testemunhar que teríamos que mudar de vida, pois eu não sabia que seria isso que precisávamos.
          Errei como esposa, como mãe, pois estava tão decepcionada de uma forma que eu não conseguia ver alegria em nada. Eu era explosiva e algo dentro de mim, nunca deixava-me falar com Deus, até a Bíblia quando lia, não entendia nada , as palavras pareciam enigmas.
          Além das infinitas chances que Deus já me deu, entendo que agora esta chance é diferente de todas as outras, eu não consigo continuar a mesma, e ele enviou-me sem parar, várias pessoas que não paravam de me convidar ao serviço de Deus. Através do Cerco de Jericó, minha mente e meu coração abriram-se e incrivelmente depois dessa maravilhosa experiência, quando eu abria a Bíblia parecia que Deus falava, unicamente para mim, pedia um sinal e a revelação era clara.
          Em um dia acordei mais inspirada que nos outros, não conseguia parar de rezar e foi através do Terço da Misericórdia, que antes não conhecia, que me entreguei inteiramente a Deus, e pedia fervorosamente pelo meu filho, mas não sabia o que Deus estava querendo de mim. No dia dois de fevereiro, logo cedo, quando fui deixar meu filho na casa da avó paterna, para que pudesse trabalhar. Para ser rápida, peguei uma carona de moto com um amigo, e muito próximo da minha casa, ainda, aconteceu o inesperado, um acidente que poderia ter sido fatal, um choque entre a moto e um carro, quando percebi, eu e meu filho estávamos no chão, com a graça de Deus não aconteceu nada com o meu filho, eu cai embaixo do carro, se o carro não tivesse parado tão rápido eu teria sido esmagada, mas Deus usou de sua misericórdia nesse momento, e esse foi o chamado mais forte da minha vida, eu não poderia calar-me diante de tanta graça, e no dia três de fevereiro fui ao Terço da Misericórdia na Casa da Paz. Lá, não tinha forças nem coragem de falar, porém até isso Deus provou realmente o que queria de mim com a confirmação clara de que queria meu testemunho e naquele momento fiz questão de falar para todos, o quanto a misericórdia mudou minha vida e todo esse amor, esse imenso amor, que sinto dentro de mim, quero e faço questão de dividir e levar até outras pessoas que ainda não provaram da verdadeira felicidade, que só vem de Deus.
          Através dessa passagem da Bíblia, Deus simplesmente falou toda minha vida, já que eu era surda, muda e não conseguia ver:
           “Nada temas, pois eu te resgato e te chamo pelo nome, tu és meu. Se tiveres de atravessar a água, estarei contigo, e os rios não te submergirão; se caminhares pelo fogo, não te queimarás, e a chama não te consumirá, porque és precioso aos meus olhos, porque eu te aprecio e te amo, permuto reinos por ti, entrego nações em troca de ti. Fica, pois estou contigo. Nenhum Deus foi formado antes de mim e não haverá outros depois de mim.
          Sou eu, sou Eu o Senhor, não há outro Salvador se não Eu. Fui eu quem predisse e Salvei e não um Deus estranho entre vós. Quando executo, quem poderia destruir minha obra?
          Eis o que diz o Senhor, que abriu uma passagem através do mar, um caminho em meio as ondas. Não recordais mais coisas antigas, porque eu que vou fazer obra nova, a qual já surge: não a vedes? ”.
Maria do Socorro Rocha Lima, 23 anos.
Data de testemunho: 16/02/2011



Testemunho II - Cura da Neurite
    Sou casada há 45 anos com Manoel Waldemar Pereira. Meu marido há um bom tempo passou a apresentar dores num lado da cabeça, era tão forte que desviava para o olhos e era insuportável. Fomos a vários médicos, tomou vários tipos de remédios. Foram dois anos seguidos sem encontrar solução, ele foi piorando a cada dia. O olho que era prejudicado ficava lacrimejando sem intervalo. Os dias as horas eram infinitas, o tempo não passava, pois ele já não alimentava-se sozinho e o que comia não conseguia mastigar, apenas líquido, com bastante sacrifício.
    O pior para mim e nossos filhos foi quando ele parou de falar, era desesperador depois de tantos anos convivendo juntos, nunca imaginei vê-los nesta situação. Já não sabia mais quanto tempo fazia que ele estava sem trabalhar, cheguei ter medo de passar necessidade, mas Deus nunca permitiu.
    O que Jesus queria fazer, não era apenas na vida dele, mas em toda a nossa família. Foi numa segunda-feira, quando tudo começou a mudar. A equipe do Terço da Misericórdia veio rezar com nossa família, e foi naquele dia que eu vi abrir a porta para a esperança.
    Depois desse dia, passamos a rezar diariamente, e ele, impossibilitado, mas acompanhava pela televisão o Terço da Misericórdia. Com poucos dias, Deus mostrou ao médico o verdadeiro problema: neurite, uma veia da cabeça que estava obstruída (bolhas de sangue), disse que ele teria que ser operado urgente.
    Ele tinha muito medo da cirurgia e dizia que caso fosse necessário ele fazer a cirurgia preferia morrer que passar por isso. Mas, Jesus através do Terço da Misericórdia foi curando-o, preparando-o e fazendo aceitar. A cirurgia foi um sucesso, O médico ficou surpreso quando o viu completamente bem e recuperado. Mas, o que nem o médico ou qualquer humano poderia ver é que ele tinha sido curado também da alma; e este milagre transformou nossa família. Hoje só posso dizer: Jesus, eu confio em vós.
Data do testemunho: 07/02/11
Maria de Fátima Pereira, 59 anos


Testemunho III - Cura de um nódulo
    Sou casada há 13 anos com Walter Carlos e temos quatro filhos. Há poucos anos, meu marido repentinamente começou a sentir uma sensação estranha embaixo da axila que o incomodava muito. Fomos a vários médicos e não encontrávamos respostas do que realmente poderia ser. Aquilo que era apenas um incômodo,  passou a consumir a vida de nossos familiares, todos ficaram preocupados por ele, pois a situação piorava a cada dia. Quando definitivamente conseguimos levá-lo a um especialista, o qual nos atendeu de imediato e diagnosticou que a mama havia dilatado, que poderia ser um possível tumor  maligno e, se fosse confirmado, ele pouco poderia fazer algo. Meu marido fez os exames, foi marcado a cirurgia, mas a nossa confiança estava em Deus.
    Antes disso, já freqüentávamos o Terço da Misericórdia, e foi na quinta-feira que antecedia a cirurgia quando estávamos no Terço da Misericórdia que aconteceu o surpreendente aos olhos  e ouvidos humanos, ele foi chamado a frente, diante do Santíssimo e lá foi proclamado que ele não deveria fazer a cirurgia, pois Jesus estava operando-o naquele momento. Confesso que para mim, seria difícil acreditar totalmente, mas o milagre seria a resposta que ele estava precisando, e nesse dia ele saiu da Casa da Paz convicto de que o impossível, Deus realizava.
    Na semana seguinte, a confirmação: o médico ficou surpreendido quando recebeu o exame o qual afirmava que ele não tinha nódulo algum e que portanto, não era mais necessário fazer nenhuma cirurgia, pois se ele tinha algo, já havia sido curado. Apenas por precaução, receitou um antiinflamatório.
    Desde então, vimos que Jesus simplesmente usou de sua misericórdia e fez a transfiguração de toda enfermidade dele. E ainda hoje continuamos freqüentando o terço para agradecer e entregar as nossas misérias aos pés daquele que morre para nos dar a vida eterna.
Maria Fabiana Firmino, 28 anos
Data do testemunho: 05/02/11


Testemunho IV - Cura da Alma
    Sou casada e tenho filhos. Meu filho mais jovem; Flávio, sempre foi um filho muito amado, mas quando foi crescendo, eu fui percebendo que ele não tinha a mesma identidade, em sua adolescência, surgia atitudes inesperadas. Comportamentos anormais na escola, em casa e na sociedade. Tinha dificuldade de socializar-se, mas meu amor por ele e a confiança em Deus ia muito além. Percebia que ele estava sendo consumido pela tristeza, medo, preocupações, sentimentos confusos que muitas vezes fazia-os chorar. Eu como mãe, desesperava-me.
    Sempre diante de tudo o que acontecia entregava Deus, pois somente Ele sabia o quanto meu filho precisava de ajuda, e embora depois de muita oração, aquele vazio persistia em confundí-lo. Deus providenciou, e finalmente ele conseguiu chegar aos pés do Senhor e meu coração aliviava-se com esta esperança. Mas, ainda não era o momento de Deus agir, e mesmo com o coração renovado, ele não conseguia libertar-se. Eu me fazia várias perguntas, o porquê de tanta intranqüilidade e impaciência em meu filho.
    Já orava muito para Nossa Senhora de Fátima, a alma do Monsenhor Waldir e juntei minha devoção ao Terço da Misericórdia. Aquela perseverança e caminhada  entregando tudo a Jesus, fortalecia-me; principalmente nos momentos de Adoração, pois tinha a certeza de que só na Misericórdia de Deus ele poderia ser totalmente curado.
    E foi sem que eu mesma percebesse,  que  Flávio restituía-se e hoje posso dizer que ele é feliz com o coração cheio do amor de Deus.
    Continuo e continuarei a seguir O Terço da Misericórdia na esperança de levar a outras pessoas o quanto o amor de Deus realizava e que eu glorifico-o pelas inúmeras graças que já realizou.
     “Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, e prepara a tua alma para a provação, espera com paciência, dá ouvidos e acolhe  as palavras de sabedoria, não te perturbes no tempo da infelicidade.
Eclesiástico 2
Data do testemunho: 08/02/11
Maria de Fátima Fonteles Teófilo, 52 anos



Por: Juliana
Vídeo: Raí  
A adoração do Filho de Sião

A adoração do Filho de Sião





Adoremos a Jesus com a certeza de que Ele não é amado!

Portamos uma espiritualidade adoradora. Nosso interior é inclinado a estar na presença de Deus, amando-o. Seja na oração pessoal, seja na oração comunitária, seja na recitação do ofício divino, seja no estudo da palavra de Deus, seja na oração do rosário, seja no apostolado, seja na celebração da santa missa ou momentos de lazer. Somos adoradores.

Na adoração não devemos nos preocupar em pedir, mas em amar, pois Deus conhece todas as nossas necessidades. Não vamos a Ele porque precisamos de algo ou porque sofremos, mas porque temos consciência de que Ele deve ser amado. Todo o nosso ser e fazer devem estar impregnado de adoração. Mas o que é adorar? É reconhecer que Deus é Deus. É o ato de prestar glória e dar graças. Adorar é consentir, é dizer sim a Deus como Deus e a si mesmo como criatura de Deus. É humilhar-se, tornar-se pequeno, um entregar-se. A adoração sempre comporta um aspecto de sacrifício, de imolação de qualquer coisa. Precisamente ela atesta que Deus é Deus e que nada nem ninguém têm o direito de existir diante d’Ele, a não ser graças a Ele. Com a adoração, imola-se e sacrifica-se o próprio eu, a própria glória, a própria auto-suficiência. A adoração é, pois, o único ato religioso que não se pode oferecer a ninguém no universo inteiro, nem sequer à Santíssima Virgem Maria, mas só a Deus. Nossa adoração deve ser uma verdadeira festa. Como nos ensina o Sl 149 (Triunfo de Israel).

Vander-Lúcia Menezes Farias-Fundadora

Fonte : Estudo Bíblico, Seduziste-me Senhor ( Maria das Graças Rocha Sousa)

quinta-feira, 9 de junho de 2011
Pentecostes

Pentecostes



Muitos cristãos passam por despercebidos dessa importantíssima festa do cristianismo, é preciso se informar cada vez mais das riquezas de ensino que porta nossa igreja e que nutre nossa fé. Se você não conhece não ama, se não ama, não defende e se não defende é porque não valoriza. Então vamos conhecer um pouco mais dessa eminente festa que no próximo domingo nossa igreja celebrará.
Pentecostes, do grego, pentekosté, é o qüinquagésimo dia após a Páscoa. Comemora-se o envio do Espírito Santo à Igreja. A partir da Ascensão de Cristo, os discípulos e a comunidade não tinham mais a presença física do Mestre. Em cumprimento à promessa de Jesus, o Espírito foi enviado sobre os apóstolos. Dessa forma, Cristo continua presente na Igreja, que é continuadora da sua missão.
A origem do Pentecostes vem do Antigo Testamento, uma celebração da colheita (Êxodo 23, 14), dia de alegria e ação de graças, portanto, uma festa agrária. Nesta, o povo oferecia a Deus os primeiros frutos que a terra tinha produzido. Mais tarde, tornou-se também a festa da renovação da Aliança do Sinai (Ex 19, 1-16).

No Novo Testamento, o Pentecostes está relatado no livro dos Atos dos Apóstolos 2, 1-13. Como era costume, os discípulos, juntamente com Maria, mãe de Jesus, estavam reunidos para a celebração do Pentecostes judaico. De acordo com o relato, durante a celebração, ouviu-se um ruído, como se soprasse um vento impetuoso. Línguas de fogo pousaram sobre os apóstolos e todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em diversas línguas.

Pentecostes é a coroação da Páscoa de Cristo. Nele, acontece a plenificação da Páscoa, pois a vinda do Espírito sobre os discípulos manifesta a riqueza da vida nova do Ressuscitado no coração, na vida e na missão dos discípulos.

Podemos notar a importância de Pentecostes nas palavras do Patriarca Atenágoras (1948-1972): Sem o Espírito Santo, Deus está distante, o Cristo permanece no passado, o evangelho uma letra morta, a Igreja uma simples organização, a autoridade um poder, a missão uma propaganda, o culto um arcaísmo, e a ação moral uma ação de escravos. O Espírito traz presente o Ressuscitado à sua Igreja e lhe garante a vida e a eficácia da missão.

Dada sua importância, a celebração do Domingo de Pentecostes inicia-se com uma vigília, no sábado. É a preparação para a vinda do Espírito Santo, que comunica seus dons à Igreja nascente.

O Pentecostes é, portanto, a celebração da efusão do Espírito Santo. Os sinais externos, descritos no livro dos Atos dos Apóstolos, são uma confirmação da descida do Espírito: ruídos vindos do céu, vento forte e chamas de fogo. Para os cristãos, o Pentecostes marca o nascimento da Igreja e sua vocação para a missão universal.

Fonte: http://www.avemaria.com.br

Colaborador: Maciel M. Claro


A ação do Espírito Santo

A ação do Espírito Santo



Os textos conciliares do Vaticano II falam com insistência da importância da oração, especialmente da oração litúrgica, na vida dos presbíteros e dos Bispos. Mas gosto de lembrar sobretudo o texto de Atos 6,4, no qual Pedro, na primeira repartição dos ministérios feita na Igreja, reserva a si e aos outros apóstolos a oração e o anúncio da Palavra:
Nós, ao contrário, nos dedicaremos à oração e ao ministério da Palavra. Pedro, ou melhor, o Espírito Santo por sua boca, naquela ocasião afirmou um princípio fundamental para a Igreja: que um pastor pode delegar quase tudo a outros na sua vida, mas não pode delegar a oração!
Esta passagem dos Atos, relativa à instituição dos diáconos, lembra sob muitos aspectos o texto do Êxodo em que se fala da instituição de juízes. Pedro repete na Igreja o que Moisés havia feito no povo de Israel (cf. Ex 18,13-24).

Aceitando o conselho de Jetro, Moisés escolhe para si, entre todas as funções possíveis, aquela de “estar diante de Deus em nome do povo e apresentar as questões a Deus”. Isto não impede que Moisés exerça uma atividade legislativa e que continue a ser o verdadeiro guia do povo; apenas estabelece uma prioridade.

A propósito de “apresentar as questões a Deus”, ouvi esta história do Papa João XXIII. Ele mesmo contava que, nos primeiros dias de pontificado, acordava bruscamente de noite com muitos problemas na cabeça, um mais angustiante do que o outro, e dizia a si mesmo: “É absolutamente necessário que eu diga isto ao Papa!” Mas depois, de repente, lembrava-se de que o Papa agora era ele mesmo, e então dizia: “Bem, então falarei disto com Deus!”, e voltava a dormir.

A decisão tomada por Moisés provinha de uma experiência recente do povo eleito. Este havia superado há pouco uma ameaça de destruição proveniente dos amalecitas. Num momento de vida ou morte para todo o povo e em que cada qual se empenhava ao máximo para rechaçar o ataque de Amalec, onde estava Moisés, seu chefe? No monte com os braços levantados em oração! Os outros lutavam com Amalec e ele lutava com Deus. Mas foi ele quem decidiu a vitória do povo (cf. Ex 17,8-16). Amalec – explica Orígenes – é aqui o símbolo das forças hostis que se opõem ao caminho do povo de Deus: Amalec é o demônio, é o mundo, o pecado. Quando este povo – e especialmente os seus pastores – reza, é mais forte e rechaça Amalec; quando não reza (quando Moisés, cansado, deixa cair os braços), Amalec é mais forte.


Mais em :Comunidade Shalom

por Frei Raniero Cantalamessa, Pregador do Vaticano *
Revista Shalom Maná


Parabéns Juli

Parabéns Juli


O Filho de Sião é alegre e festivo  , e não há maior alegria que está na presença de Deus e na companhia dos irmãos compatilhando bons momentos .
A Comunidade Católica Filhos De Sião Hoje se alegra, parabeniza e deseja muitas felicidades a Julineide Teófilo,coordenadora do Discipulado maior .
Que Deus te conserve sempre assim , tão especial e importante na vida de tantas pessoas!!
Parabéns.


..
quarta-feira, 8 de junho de 2011
O Senhor nos conforta - Testemunho

O Senhor nos conforta - Testemunho


"Bem aventurados os que choram porque serão consolados"(Mateus 5:4)
Testemunho para descrever o sentimento de uma pessoa que perdeu alguém que muito ama;
Ela enfrentou um sofrimento muito grande, mas ela também encontrou o consolo de Deus
"Deus não se compraz com os sofrimentos de Seus filhos".
Testemunho de Leuda da Comunidade Rainha da Paz.
Este testemunho aconteceu durante o Fórum para Famílias na Casa da Paz

Baixe aqui esta Pregação







Sois da castidade simbolo real

Sois da castidade simbolo real


Quando perguntaram a Santa Bernardete se Nossa Senhora é bonita, a vidente respondeu espantada: "Se Nossa Senhora é bonita? Se você a visse, seu único desejo seria morrer para vê-la eternamente".
Irmã Lúcia de Fátima, ao referir-se à Virgem Maria, disse: "Era uma senhora mais brilhante que o sol"
Maria Santíssima brilha, não porque tenha luz própria, mas porque nunca pôs obstáculo à luz de Deus.Se os castos brilham, e brilham tanto, não irradiam a própria luz, mas a de Deus, que neles penetra sem empecilho.
Para entendermos o brilho da castidade, olhemos para os olhos de uma criança. Que há neles que os diferencie dos olhos dos adultos? São olhos sinceros ( = "sem cera"), transparentes. O olhar de um bebê é algo misterioso. É um olhar que nos interpela. A criança ainda não aprendeu a usar máscaras, não criou crostas de sujeira em seus olhos. Ao olhar-nos ela se revela tal como é. E parece que enxerga algo que não enxergamos. Assim são os castos
Na idade adulta, a castidade precisa ser mantida por uma constante vigilância.
"Vigiai e orai para não cairdes em tentação. Pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca" (Mt 26,41).
Em matéria de castidade – diz a Madre Maria Helena Cavalcanti – não há fortes nem fracos. Há prudentes e imprudentes.
Prudentes são os que, reconhecendo a própria fraqueza, fogem das ocasiões de pecar e agradecem aqueles que os auxiliam com conselhos e exortações.
Imprudentes são os loucos que, embora fracos, insistem em pensar que são fortes, que não cometerão o que os outros já cometeram, que rejeitam as recomendações dos pais e a vigilância de terceiros.
A castidade só se conserva pela prudência. Não é à toa que a Ladainha de Nossa Senhora chama-a de "Virgem prudentíssima". O imprudente, ainda que ore, ainda que ore muito, acabará por cair, e grande será sua queda.
Para a conservação da castidade, dificilmente seremos exagerados em matéria de prudência. Os jovens que, por imprudência perderam a virgindade, e reconheceram tarde demais que eram fracos, sabem que não é exagero exigir
que os namorados nunca fiquem sozinhos;
que sempre haja a presença de uma terceira pessoa;
que sempre namorem em um lugar claro e iluminado;
que evitem qualquer contato físico que possa causar excitação, seja em si seja no outro.
Convém lembrar - nunca será demais insistir - que a castidade é um tesouro: "um homem o acha e o torna a esconder e, na sua alegria, vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo" (Mt 13,44).
Não costumam ter sucesso as receitas para emagrecer que se concentram nas privações e proibições alimentares. É preciso algo para substituir, com vantagem, os alimentos proibidos aos obesos.
Também Jesus, em seu jejum, não embora se privasse de pão e sentisse fome, resistiu ao demônio dizendo: "Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus" (Mt 4,4).
Assim, uma pregação sobre a castidade precisa ser acompanhada de tudo o que ela tem de positivo, em compensação às privações que ela requer: o amor verdadeiro, a visão de Deus, o conhecimento de Deus, a alegria.
Nunca devemos esquecer esta bem-aventurança fundamental reservada aos castos: "Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus" (Mt 5,8).

Por: Pe Luis Carlos Lodi da Cruz 
Castidade - Prova de amor

Castidade - Prova de amor


Os namorados, que se preparam para o casamento, podem e devem dar prova de amor um ao outro. Mas como o amor se prova? Prova-se pela castidade. Não é verdadeiro o amor que não é casto.
Durante o namoro, a castidade manifesta-se pelo tempo, pela distância e pelo sacrifício:
- pelo tempo: o verdadeiro amor sabe esperar;
- pela distância: o verdadeiro amor sabe separar os corpos, a fim de unir as almas;
- pelo sacrifício: o verdadeiro amor sabe abster-se de prazer por causa do outro.
Essas exigências da castidade, justamente por serem tão contrárias ao que prega e faz o mundo, apresentam-se aos jovens como um desafio, uma meta a ser atingida. E os jovens gostam de desafios. É próprio da juventude o repúdio à mediocridade e o desejo de fazer algo diferente.
Ao contrário do que poderia parecer à primeira vista, os jovens costumam ser muito receptivos a uma pregação sobre a castidade. Espantam-se com o que ouvem, mas sentem-se atraídos.
Ao entenderem que o motivo da castidade é o amor, os jovens encaram-na como algo positivo. Mais que isso:como algo precioso, belo, fascinante.
A fornicação (relação sexual entre solteiros) nada mais é do que um ato de egoísmo praticado a dois. A fornicação está para o amor como o não está para o sim. Justamente porque os fornicadores não sabem esperar, não sabem se distanciar e não sabem se sacrificar, eles em nada diferem dos animais na época do cio. A fornicação é a suprema prova de falta de amor. É o sinal mais seguro de que os dois não merecem um ao outro, não merecem o sacramento do matrimônio e estão totalmente despreparados para constituírem uma família.
A alegria da castidade
Se a castidade é positiva em seu motivo – o amor – também o é em seu efeito. O efeito da castidade foi dito pelo próprio Jesus: a visão de Deus. Esta visão chama-se beatífica porque traz a felicidade. Aqui na terra ainda não temos a felicidade, mas temos um antegozo dela, que se chama alegria.
A fornicação (relação sexual entre solteiros), o adultério (relação sexual entre uma pessoa casada e outra que não o seu cônjuge) e outros pecados contra a castidade são capazes de oferecer prazer, mas não alegria.
O prazer é corpóreo. A alegria é espiritual.
O prazer é efêmero, passageiro. A alegria é perene e aponta para a felicidade eterna.
O prazer deixa um sabor amargo, um vazio, um remorso. A alegria deixa uma paz, que o mundo é incapaz de dar.
Se os que buscam o prazer na impureza conhecessem a alegria da pureza, desejariam ser puros nem que fosse só por interesse. De fato, a alegria da pureza está acima do prazer da impureza como o céu está acima da terra.

Por: Pe Luis Carlos Lodi da Cruz
http://www.providaanapolis.org.br/
terça-feira, 7 de junho de 2011
Castidade - Abstenção, renúncia, privação

Castidade - Abstenção, renúncia, privação


Uma privação
A castidade costuma ser definida como algo negativo. É a qualidade daquele que se abstém de relações sexuais antes ou fora do casamento. É a virtude dos que evitam olhares libidinosos, dos que rejeitam os divertimentos mundanos, dos que se privam de seguir as modas licenciosas. É também a virtude daqueles que renunciam ao casamento "por causa do Reino dos Céus" (Mt 19,12) a fim de servirem a Deus com o coração indiviso (1Cor 7,32-34).
Ao falar da castidade como algo que se deixa de fazer, como algo de que se abstém, como algo a que se renuncia, é preciso acrescentar o motivo de tal não-fazer, de tal abstenção, de tal renúncia. É preciso ainda, além dos motivos, falar dos frutos de tal atitude. Em suma: é preciso falar do que a castidade tem de positivo, nos seus motivos e nos seus efeitos.
Nem toda privação é má
a filosofia ensina-nos que nem toda privação é má. Má é a ausência de uma perfeição devida. Assim, é mau que um homem não tenha olhos, uma vez que os olhos são devidos à natureza humana. Mas não pode ser chamada de "má" a ausência de olhos na pedra, uma vez que a pedra, por sua natureza inerte e inanimada, não requer a presença de olhos. Tal perfeição, por não ser devida à pedra, pode estar ausente sem que isso constitua um mal.
Privação de algo indevido
Assim, a castidade, embora signifique privação, não é um mal. O casto não se priva de algo devido. Priva-se de algo indevido.
Alguém aqui poderia replicar: não é devido à natureza humana que o homem e a mulher se sintam atraídos? A atração entre os sexos não é algo natural, que a castidade repele de modo artificial? Não seria um mal que os jovens reprimam suas inclinações naturais, abstendo-se de relações sexuais e, mais ainda, de tudo quanto possa causar o desejo delas?
A resposta é simples. A natureza humana não é apenas corpórea, mas também espiritual. Se é natural ao homem o instinto que o leva a alimentar-se, a fugir dos perigos, a aproximar-se de alguém do outro sexo, também é natural que tais instintos sejam regulados pela razão. Pertence à natureza do homem não se transformar em joguete de seus instintos, mas controlá-los racionalmente. Esse controle implica privação. Mas privação de algo indevido.
Sem desprezo pela sexualidade
Castidade não significa, nem pode significar menosprezo pelo matrimônio ou pela união física entre os cônjuges. Justamente por dar um grande valor a essas coisas, o casto não admite que o instinto sexual aja nelas cegamente, sem ser controlado pela razão.
Não é apenas o instinto sexual que precisa ser controlado. Também o instinto alimentar, que existe para assegurar nossa sobrevivência, precisa de um controle. Embora o homem sinta fome, sabe que deve esperar a hora da refeição para comer. Sabe que não pode apoderar-se de uma comida que não é dele, por mais apetitosa que seja. E sabe que deve comportar-se com boas maneiras estando à mesa. A virtude que regula o comer e o beber chama-se sobriedade. A sobriedade, no entanto, embora digna de admiração, não costuma despertar o fascínio e o encanto que desperta a castidade.


por: Pe Luiz Carlos Lodi da Cruz
http://www.providaanapolis.org.br/
Ultimas Notícias
Loading...
Enviar Mensagem
Aperte Esc para Fechar
Copyright © 2010 - 2016 Comunidade Católica Filhos de Sião Todos os Direitos Reservados